Reduzir Prestações dos Créditos

Junte todos os créditos e reduza as prestações até 70%

Prazo de 24 a 120 meses

Taxas a partir de 7,40%

Simulação grátis

Pode pedir financiamento adicional

Atualizado em Julho de 2024

Simulação online gratuita

Rápido e seguro

Resposta em menos de 24H

Crédito Consolidado Cetelem

TAN

desde 10,75%

TAEG

Fixa 13,80%

Montante

2.500€ a 75.000€

Avaliação

4.8/5

Crédito Consolidado: TAN de 10,75% a 13,40%. TAEG de 13,8% a 15,6%. Crédito está sujeito à aprovação pelo BNP Paribas Personal Finance, S.A., Sucursal em Portugal. As condições apresentadas são uma mera simulação, podendo ser alteradas após uma análise dos dados do Consumidor e de, à data da celebração do Contrato de crédito já não vigorar a campanha na base da presente simulação. Esta não constitui o BNP Paribas Personal Finance, S.A., Sucursal em Portugal, detentor da marca Cetelem, na obrigação de celebrar Contrato de Crédito com o Consumidor.

Crédito Consolidado Unibanco – Crédito até 75.000€ e TAEG fixa

TAN

desde 12,30%

TAEG

Fixa 15,6%

Montante

5.000€ a 75.000€

Avaliação

4.9/5

Exemplo para um financiamento de €20.000 a pagar em 84 mensalidades de €346,54. TAN 10,950% e TAEG 12,6%. MTIC €29.461,66. Para mais informações contacte a Unicre – Instituição Financeira de Crédito S.A. registada junto do Banco de Portugal sob o registo n.º 698. TAN de 9,800% a 10,950% e prazo de 24 a 84 meses

Crédito Consolidado BPI – Sem Hipoteca

TAN

desde 12,1%

TAEG

Fixa 9%

Montante

5.000€ a 50.000€

Avaliação

4.8/5

Exemplo Representativo: TAEG 9%. TAN 12,1%. Para um financiamento de 10.000€, com um prazo de 84 meses, a que corresponde a uma mensalidade de 162,72. MTIC de 14.402,76€. Prazo mínimo de 24 meses e máximo de 120 meses.

Crédito Consolidado Banco BNI Europa – Sem transferência de crédito habitação

TAN

desde 7,838%

TAEG

desde 9,623%

Montante

10.000€ a 75.000€

Avaliação

4.7/5

TAEG calculada com base numa TAN Variável de 7,838% (Euribor 6 meses de abril de 2024 de 3,838% e spread de 4%), para um empréstimo padrão de 62.500 EUR a 15 anos, para um titular com 40 anos de idade e rácio financiamento garantia de 64%. O financiamento é reembolsável em 180 prestações mensais de capital e juros no montante mensal estimado de 591,45 EUR. Custo total do crédito 50.631,03 EUR e montante total imputado ao consumidor (MTIC) 113.131,03 EUR. Inclui: comissão de avaliação do imóvel, comissões iniciais, despesas de formalização do contrato, imposto do selo sobre a utilização do crédito e prémios de seguros vida e multirriscos.

Crédito Consolidado Cofidis – Reduzir a mensalidade dos créditos

TAN

desde 12,31%

TAEG

desde 15,60%

Montante

5.000€ a 50.000€

Avaliação

4.9/5

Exemplo representativo – Crédito Consolidado: para um financiamento de 20.000€, com a TAEG de 12,3% e TAN de 10,65%, o prazo de reembolso é de 84 meses ao que corresponde uma mensalidade fixa de 343,25€. Montante total imputado ao consumidor: 29.185,00€ dos quais 20.000,00€ reembolsam o capital concedido e 9.185,00€ respeitam ao custo total do crédito.

Crédito Banco CTT

TAN

desde 8,40%

TAEG

Fixa 11,00%

Montante

2.500€ a 75.000€

Avaliação

4.8/5

TAEG 13,2% Exemplo para financiamento de 5.000€ pago em 84 mensalidades de 87,89 €/mês. Seguro de crédito facultativo de 7,57€/mês, não estando este valor refletido no MTIC de 7.470,76 € e na TAEG de 13,2%. TAN: 11,40%. Crédito sujeito à aprovação pelo Cetelem – uma marca do BNP Paribas Personal Finance, S.A., Sucursal em Portugal. O Banco CTT atua como intermediário de crédito vinculado e sem exclusividade. Condições válidas em 04/2024 e sujeitas a alterações conforme condições de campanha ou legislação em vigor. As condições apresentadas são uma mera simulação, podendo ser alteradas após uma análise dos dados do Consumidor e de, à data da celebração do Contrato de crédito, já não vigorar a campanha na base da presente simulação.

Crédito Montepio

TAN

desde 8,50%

TAEG

Fixa 11,80%

Montante

2.500€ a 35.000€

Avaliação

4.8/5

TAEG de 11,8% para um exemplo de financiamento de 10.000€ a 84 meses com uma Taxa Anual Nominal (TAN) 8,500% e com prestações mensais de 160,08€. TAEG inclui a comissão de contratação (312,00€), o seguro Plano de Proteção ao Crédito Individual – Modalidade Vida (seguro obrigatório) – para 1 mutuário (217,35€ – Prémio Único, pago no início do contrato), juros e imposto do selo sobre a utilização do crédito e sobre juros. O Montante Total Imputado ao Consumidor é de 14.151,93€.

Simulação online gratuita

Rápido e seguro

Resposta em menos de 24H

A Essential Advice, Intermediário de Crédito, Lda. encontra-se registada junto do Banco de Portugal sob o n.º 1429 como Intermediário de Crédito Vinculado, em regime de não exclusividade, desenvolvendo a respetiva atividade no âmbito de diversos contratos de vinculação, atuando em nome e sob a responsabilidade total e incondicional do grupo de mutuantes com os quais tem contratos de vinculação.

A Essencial Advice, Intermediário de Crédito, Lda. apresenta e propõe contratos de crédito a consumidores, prestando-lhes a devida assistência, mediante a realização de atos preparatórios ou de outros trabalhos de gestão pré-contratual relativamente a contratos de crédito em representação do grupo de mutuantes com os quais trabalha.

A Essencial Advice, Intermediário de Crédito, Lda. está autorizada a prestar serviços de consultoria, emitindo recomendações dirigidas aos consumidores sobre crédito consolidado, conseguindo esclarecer e aconselhar os consumidores a poupar nas prestações mensais.

A Essencial Advice, Intermediário de Crédito, Lda. mantém contratos de vinculação com o seguinte grupo de mutuantes: Cofidis, BNP Paribas, BNI, Unicre e Montepio Crédito.

A Essencial Advice, Intermediário de Crédito, Lda. tem registada a marca Advice Credisolutions como Marca Nacional desde 2017, apresentando um elemento figurativo que dá ênfase à palavra Credisolutions, devendo referir-se que a Essential Avice é legítima proprietária da marca Advice Credisolutions, pelo que quando se refere CrediSolutions pretende referir-se Essential Advice, Intermediário de Crédito, Lda.

Como reduzir as prestações do créditos?

Sim, é possível contornar o endividamento e obter aquela tão sonhada folga no orçamento ao fim do mês.

É importante ressaltar que não se trata de nenhuma solução milagrosa, pois, assim como qualquer outra operação financeira, requer cuidados e uma análise minuciosa antes de decidires seguir em frente com a contratação.

O que é o crédito consolidado?

O crédito consolidado consiste numa operação financeira cujo objetivo é a unificação de várias prestações de empréstimos numa só, e com um valor mais reduzido.

A entidade que aprovar o pedido de crédito consolidado irá pagar a tua dívida junto dos credores iniciais e, desta forma, passa a ser-te cobrada apenas uma prestação mensal.

Assim, o cliente bancário não terá que lidar mais com diversos contratos, diferentes prazos de pagamento e taxas de juro, o que dificulta, certamente, a organização da vida financeira.

Além de facilitar a gestão do orçamento, a operação permite reduzir de forma significativa os encargos mensais, uma vez que a prestação resultante da consolidação pode ser menor até 60%.

Por exemplo, se hoje pagas um total de 1.000€ ao mês na totalidade dos créditos a consolidar, após a consolidação ficarás com apenas uma única prestação no valor de 400€.

Com esta folga no orçamento podes, finalmente, começar a juntar dinheiro para colocar os teus sonhos em prática, ou também fortalecer a tua reserva de emergência.

A consolidação pode ser feita em qualquer tipo de crédito?

O crédito consolidado é um produto bastante abrangente, o que significa que a operação pode ser aplicada em diferentes modalidades de empréstimos, como:

1. Créditos pessoais

Crédito pessoal é uma denominação que inclui várias categorias de empréstimos, como o crédito formação, automóvel, ao consumo e o próprio pessoal.

2. Cartão de crédito e linhas de crédito

Os créditos obtidos através de cartões de crédito também são passíveis de consolidação, assim como as linhas de crédito, também conhecidas como empréstimos rotativos e que funcionam de forma similar a um cartão de crédito. É uma espécie de extra ao plafond mensal do cartão.

3. Créditos hipotecários

Os créditos hipotecários são aqueles que possuem como garantia a hipoteca de um bem, incidindo geralmente sobre um imóvel que, por norma, é a habitação própria. O crédito habitação é a modalidade mais comum.

Apesar de os créditos hipotecários estarem abrangidos pela consolidação, é importante saber que nem todos os casos estão elegíveis para prosseguir com a operação.

Isto porque será necessário realizar uma nova avaliação do imóvel para determinar se houve valorização e se há margem no valor para introduzir os outros créditos que farão parte da consolidação.

Também é possível fazer crédito consolidado mesmo quando parte do crédito habitação já foi amortizado. Contudo, para que seja possível juntar e reduzir as prestações, o total a consolidar deve ultrapassar 80% do valor do imóvel.

Pontos importantes a analisar no crédito consolidado

Para que seja possível obter uma redução de 60% nas tuas prestações de crédito, é preciso que haja um processo de reestruturação de dívida. Isto significa que aspetos importantes do contrato são modificados.

Por isso, recomendo que analise com cuidado os principais fatores que regem um contrato de crédito, tais como os prazos, as taxas de juro, os seguros, as comissões e outras despesas.

1. Prazos

No crédito consolidado é provável que ocorra a dilatação do prazo do contrato para que seja possível reduzir o valor da prestação. Mas não pense que este aumento no prazo significa que vais pagar mais juros e ter uma dívida maior.

Analise com cuidado todos os créditos e os prazos que já possui, e não somente o do empréstimo pessoal. Considere também as eventuais dívidas com o cartão de crédito e em quanto tempo pretende liquidar estes valores.

Se, por exemplo, pagar o valor mínimo obrigatório ao banco, estarás a estender a dívida e, consequentemente, irá pagar mais juros. O que quero dizer com isto é que o facto de o prazo ser dilatado na consolidação não quer dizer que irá pagar mais.

Daí a importância de analisar cada caso, de acordo com as suas particularidades, e assim perceber qual é a melhor solução.

Só então pode perceber qual o valor médio dos prazos que possui atualmente, e assim comparar com o novo prazo resultante do crédito consolidado.

Além disso, deve avaliar o total de juros que irá pagar, pois, dependendo do valor, mesmo que o prazo aumente, a operação ainda pode ser benéfica.

2. Taxas de juro

As taxas de juro mais significativas nos contratos de crédito consolidado são a TAN (Taxa Anual Nominal) e TAEG (Taxa Anual Efetiva Global). Conhecer os seus valores e compreender como se aplicam aos contratos de empréstimo é fundamental para perceber se a contratação realmente é vantajosa.

A TAEG é a taxa de juro mais importante a analisar num contrato, uma vez que reflete todos os juros e encargos que te vão ser cobrados ao longo do crédito, e também representam uma receita para o próprio banco que o concede.

É na TAEG que estão incluídos valores relacionados com as comissões, os seguros, as despesas de abertura (enfim, todas as despesas associadas ao contrato realizado). Além disso, esta taxa inclui igualmente os impostos subjacentes ao contrato de crédito.

Por sua vez, a TAN é uma taxa também obrigatória em todos os contratos de crédito consolidado e tem a sua aplicação calculada de forma anual. Isto significa que, para perceber o peso mensal que esta possui no empréstimo, deve dividir o valor por 12 meses.

Em alguns contratos, a aplicação da TAN pode ocorrer de forma trimestral ou semestral, porém a forma de calcular é a mesma, mudando apenas o prazo.

Conhecendo ambas as taxas, é importante ressaltar que a TAEG possui uma maior influência sobre o valor final do contrato de crédito, uma vez que inclui os valores secundários associados ao empréstimo. Desta forma, a TAN não é o melhor parâmetro de comparação de créditos.

Assim, na consolidação de créditos é a TAEG que pode ser reduzida, gerando uma prestação mensal de menor valor.

3. Comissões e despesas

Num contrato de crédito consolidado, para além da taxa de juros, há ainda que considerar as comissões de abertura e o imposto do selo sobre a utilização do empréstimo.

Há ainda entidades financeiras que cobram uma comissão inicial, associada ao estudo da viabilidade da concessão do crédito.

Na operação de consolidação de créditos, além de reduzir a taxa de juros, também pode beneficiar da exclusão de comissões, inclusive de processamento da prestação.

Ao ter uma única prestação terá apenas uma comissão, ao contrário de quem possui vários empréstimos e, consequentemente, comissões associadas a cada um dos contratos.

Da mesma forma, além das comissões, há ainda outros custos associados, como as anuidades dos cartões de crédito, que podem ser reduzidos com a consolidação dos créditos.

Aqui, a poupança acontece através do mesmo raciocínio, ou seja, com apenas um contrato de crédito tem que pagar os custos associados somente a este empréstimo.

4. Seguros

Não é somente na contratação de um crédito habitação que os seguros podem ser exigidos. Na verdade, quando solicita um crédito pessoal é bastante provável que a aquisição de um seguro de vida seja exigida.

Porém, ao contrário do que acontece com o crédito habitação, no pessoal a contratação do seguro não é obrigatória, de forma que pode recusar a sua subscrição. No entanto, a recusa pode resultar no acréscimo de 20% sobre o valor solicitado.

No caso de optar pela contratação do seguro, fique a saber que é interessante pesquisar em seguradoras fora da entidade bancária, e obter uma apólice com termos mais benéficos para si.

Este é mais um valor que pode reduzir ao optar pelo crédito consolidado, já que ao invés de pagar seguros por todos os contratos, terá de pagar por apenas um.

Vantagens do crédito consolidado

Reduzir prestações de crédito através da consolidação é a solução que possibilita que muitos portugueses contornem o endividamento e retomem o controlo da vida financeira.

Sobre as vantagens que irás obter ao consolidares créditos, merecem destaque:

Vida financeira mais organizada

Conforme expliquei no início, através da consolidação estarás a unificar todas as prestações de crédito em aberto, tendo assim que lidar com um único banco, uma única prestação e uma única taxa de juros.

Assim, podes perceber com mais clareza como o teu dinheiro está a ser gasto, e organizar o orçamento de forma mais efetiva.

É sinónimo de poupança

Se optares pela consolidação de créditos podes beneficiar de uma poupança de 60% do valor das prestações em aberto, graças à dilatação do prazo do contrato bem como a redução da taxa de juros, comissões, etc.

Esta folga no orçamento familiar permite juntar mais dinheiro para poupares e aplicares num investimento ou reforçares a tua reserva de emergência por exemplo, além de reduzires a tua taxa de esforço.

Se já não sabes o que fazer mais para reduzires os gastos e fugires do endividamento, considera a consolidação.

Ajuda a eliminar dívidas

Tens dívidas e pendências financeiras? O dinheiro que irás poupar através da consolidação pode ser destinado à liquidação destes valores.

Dilatação dos prazos

Já expliquei que a dilatação do prazo é necessária para que o valor total da prestação resultante seja menor.

Além de impactar diretamente na redução da prestação, o prazo mais alargado dá-te mais tempo para organizares a vida financeira.

Redução da taxa de juro

Através do crédito consolidado também podes garantir uma taxa de juro menor, quando comparada com as taxas aplicadas nos teus créditos de forma isolada.

Além disso, caso queiras tirar proveito da sua hipoteca, podes obter um prazo de pagamento ainda mais alargado e uma prestação ainda mais reduzida.

Qualquer pessoa pode contratar o crédito consolidado?

Basicamente, qualquer pessoa que possua mais do que um contrato de crédito pode solicitar o crédito consolidado. Contudo, a aprovação do pedido não é garantida.

Assim como noutras operações financeiras, os bancos e entidades irão realizar uma análise sobre o perfil de risco do solicitante. Por isso, os desempregados ou quem possui o nome na lista negra do Banco de Portugal podem ter dificuldades em ver o pedido ser-lhes aprovado.

Nestes casos, a concessão do crédito consolidado significa um risco muito elevado para a entidade financeira, que pode não aprovar o pedido do cliente.

O ideal é tomares providências antes de chegares a uma situação de incumprimento e acabares com o teu nome na lista negra, inviabilizando a consolidação. Para saberes se este é o teu caso, podes consultar o teu Mapa de Responsabilidades no site do Banco de Portugal.

Como encontrar o melhor crédito consolidado

A intermediação de crédito é, sem dúvida, a melhor forma de encontrares o crédito consolidado ideal para ti, atendendo às tuas necessidades.

Nós, consultores, empenhamo-nos por encontrar a solução financeira mais vantajosa para os nossos clientes, considerando o seu perfil bem como as suas expectativas.

Servimos da melhor forma possível os seus interesses, através da assistência contínua em todas as etapas do processo de contratação do crédito consolidado.

Os consultores financeiros irão apoiar-te em todos os momentos do teu contrato. Através desta assistência, terás mais segurança e tranquilidade no processamento do teu pedido. Tudo isto feito de forma gratuita e sem compromisso, ou seja, podes a qualquer altura recusar uma proposta insatisfatória.

O primeiro passo para reduzires as prestações de crédito e obteres uma poupança significativa no teu orçamento familiar é realizares uma simulação online e gratuita com a Advice CrediSolutions.

Todo o processo é feito de forma rápida e segura e a resposta será enviada num prazo de 24 horas. O meu compromisso é garantir a melhoria da tua vida financeira. Simula e beneficia das vantagens do crédito consolidado!

Simulação online gratuita

Rápido e seguro

Resposta em menos de 24H